conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Saúde & Bem-estar

Doação de sangue: uma trajetória de amor ao próximo

Doação de sangue Fundação Pró-Sangue
Doadores no centro de coleta da Fundação Pró-Sangue Hemocentro São Paulo

A possibilidade de ajudar o cunhado que passou por um transplante de coração motivou a primeira doação de sangue de Rosemilda Gonçalves Trindade, em 1993. Nos 26 anos seguintes, doar se tornou um compromisso para ajudar o próximo. Um exemplo a ser seguido por pessoas de todas as idades. “Continuei doando o ano todo, na possibilidade do espaço de quatro meses entre uma doação e outra”, conta.

Com este gesto solidário, o doador contribui para salvar a vida de pessoas que passam por tratamentos e intervenções médicas, como quem precisa de transfusões de sangue, transplantados, pacientes oncológicos e vítimas de acidentes.  

Em novembro de 2019, porém, Rosemilda fez sua última doação de sangue. Não porque desistiu de doar, mas limitada pela idade, já que naquele mês completou 70 anos. A idade é um dos fatores limitantes para a doação, conforme as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Podem doar pessoas entre 16 e 69 anos.

O limite anterior para ser um doador de sangue era de 67 anos e foi ampliado em 2013. De acordo com a Fundação Pró-Sangue as pessoas com 60 anos a 67 anos representavam cerca de 3,5% dos doadores em 2018. Entre 67 e 69 anos, o percentual era de 0,5%.  

Doadores de 60 anos ou mais geralmente são pessoas que têm uma trajetória de doações como Rosemilda. “São pessoas que já doavam, estavam acostumadas. Já recebi várias queixas de pessoas frustradas porque não poderiam mais doar”, conta Sandra Montebello, médica responsável pela coleta do posto Clínicas.   

Com a saúde em dia, Rosemilda acredita que poderia permanecer colaborando: “Eu acho que poderia continuar, dependendo do estado de saúde, mas a legislação não permite. Seria importante que não tivesse uma idade limite, e dependeria de cada pessoa continuar ou não”. Há limite de idade também para quem nunca doou. A primeira doação de sangue pode ser feita até os 60 anos.

Seja doador

Para doar também é preciso estar em boas condições de saúde, vir alimentado, pesar mais de 50 kg e trazer documento de identidade original com foto recente. Os endereços e horários de coleta podem ser consultados no site da Fundação Pró-Sangue.

A médica responsável pela coleta do posto Clínicas afirma que a faixa etária que mais contribui com doações são pessoas entre 20 e 40 anos, o que representa mais de 50% dos doadores. E conforme aumenta a faixa etária o número de doadores é menor, principalmente no período de férias e no inverno.

Por outro lado, vem crescendo o número de doadores entre os jovens de 16 e 18 anos. Eles precisam da autorização de um responsável.  “Os jovens têm um espírito de contribuição social maior. Eles vêm quando fazem aniversário. Temos escolas que nos chamam para coletas externas”, conta a médica. Para ela, a doação tem que ser incentivada em todas as idades para reverter a queda ao longo dos anos no número geral de doadores. Faça sua parte e se possível seja um doador ou incentive familiares e amigos a colaborar. (Katia Brito / Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil )

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Colunistas

Programa musical tem ido além da valorização dos talentos 60+, trazendo debates sobre etarismo e as conquistas femininas

Iniciativas & Projetos

Evento será em formato híbrido, presencial e online, com diversas palestras e expositores, com início no dia 29 de setembro

Saúde & Bem-estar

Em sua 9ª edição, campanha alerta para a importância do cuidado com a saúde mental em tempos de prolongada pandemia e crises