conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Valéria Barrio Novo Gonçalves

Cuidado e cuidadores em meio à pandemia

Cuidado Cuidadores Cuidare

Valéria Barrio Novo Gonçalves*

 “Ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana” (Carl Jung)

Essa frase sempre fez muito sentido para mim, mas atualmente, com a pandemia que se tornou uma crise de saúde mundial, o sentido passou a ser maior. Imagino que muitos que ainda não tinham percebido que somos feitos da mesma essência e que estamos expostos da mesma maneira, agora, talvez tenham começado a refletir, independente de suas crenças, valores, que somos semelhantes e apenas almas humanas.

Nesse sentido, o cuidado com o outro nunca foi tão percebido e valorizado como nos dias atuais. Os cuidados com a higiene em tempos de pandemia foram redobrados, o que já era rigoroso se tornou quase que paranóico e o isolamento social passou a ser fundamental. Entretanto estes são os únicos instrumentos que temos em mãos para nos proteger e proteger quem amamos.

Mas como falar sobre isolamento social do grupo de risco, se entre eles estão os 60+ e justamente o isolamento social é o grande vilão a ser combatido por essas pessoas? Como proteger idosos dentro de um contexto onde o isolamento social é imprescindível? Sabemos que o isolamento social traz sérios riscos à saúde mental do idoso, como sentimentos de solidão, estresse, tristeza, depressão e medo do incerto.

Muitos idosos vivem em instituições de longa permanência, onde a visitação de familiares foi proibida, outros moram sozinhos e alguns mesmo que estejam com familiares, necessitam do auxílio de cuidadores nas atividades básicas diárias.

Com isso os cuidadores que atuam com esse grupo de pessoas passaram a ter um papel fundamental nesse novo cenário e muitos tiveram que readaptar suas rotinas de vida para se dedicarem aos cuidados de forma individual e humanizada, tanto com relação à higiene quanto com relação à saúde mental desses idosos que muitas vezes não têm mais nenhum elo familiar ou com o mundo exterior. Esses profissionais sofrem grande pressão, pois sabem da responsabilidade que isso representa e também precisam se proteger.

Um grande desafio é vivido diariamente, sair para uma batalha do bem, sair para levar o seu melhor para alguém que precisa de cuidados e muitas vezes encontrar dificuldades em um ambiente que nem sempre é amistoso. Por vezes o cuidado será de muita paciência e respeito às limitações de cada pessoa. Por isso, os cuidadores também necessitam de apoio psicológico, social e de respeito para seguir em frente.

Os protocolos de higiene adotados passaram a ser ainda mais rígidos do que antes, respeitando as orientações dos órgãos de saúde mundial para proteção individual em benefício da pessoa assistida e de seus familiares.

Para a preservação da saúde mental de idosos, existem muitas alternativas, como o uso da tecnologia para comunicação com familiares e amigos que aproxima quando a orientação é distanciar. O contato traz o sentimento de pertencimento e de fazer parte do momento vivido por todos.

 Cuidado Cuidadores Cuidare

Outras atividades utilizadas são os jogos, a leitura de livros, notícias atuais, ouvir e cantar músicas que tragam boas recordações e estimulem o relato de fatos, técnicas de respiração para relaxamento, entre outros. Essas atividades além de preencher o tempo do idoso, estimulam a cognição, trazem o idoso para a situação atual e mantém o cérebro em movimento.

Por fim, além da técnica, do profissionalismo, dos cuidados com a higiene. Existe algo extremamente importante nesse momento em que todos nós estamos fragilizados, onde o toque muitas vezes não é possível… Por vezes um OLHAR carinhoso diz muito, a SIMPLICIDADE de estar presente para ESCUTAR é o bastante, é preciso ter ALMA, é necessário RESPEITAR o outro, é preciso SER HUMANO. (Imagens de Sabine van Erp por Pixabay )

Valéria Barrio Novo Gonçalves*

Valeria Barrio Cuidado Cuidadores Cuidare

Graduada em Administração de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior e pós-graduada em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), atuei por 22 anos na área financeira e contábil de empresas de grande porte, entretanto sempre fui apaixonada pelo tema do envelhecimento até por questões familiares, que sempre me levaram a estar próxima de locais e pessoas que me propiciaram muitos aprendizados e me fizeram muito bem.

Com o passar do tempo, o interesse pelo tema do Envelhecimento e de Cuidados só cresceu e me fez ingressar em uma Pós-Graduação em Gerontologia na Faculdade Paulista de Serviço Social (FAPSS) a qual estou em fase de conclusão.

Durante esse período realizei alguns cursos, dentre eles o de Estimulação Cognitiva para Idosos pela Associação Brasileira de Gerontologia (ABG). Deixei a profissão que atuava e hoje sou responsável pela Cuidare Santo Amaro, uma franquia de Cuidadores de Pessoas – idosos, adultos e crianças, com ou sem necessidades especiais.

A cada dia que passa tenho mais certeza de que estou no caminho certo e que nunca é tarde para seguir o que o seu coração diz.  Para conhecer mais sobre a Cuidare Santo Amaro, entre em contato pelos telefones (11) 4281-2717 ou (11) 93435-1977 ou pelo e-mail santoamaro@cuidarebr.com.br.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Colunistas

Programa musical tem ido além da valorização dos talentos 60+, trazendo debates sobre etarismo e as conquistas femininas

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Saúde & Bem-estar

Em sua 9ª edição, campanha alerta para a importância do cuidado com a saúde mental em tempos de prolongada pandemia e crises