conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Cultura

Série “Transparent”: velhice, sexualidade e gênero

Transparent Amazon

A série “Transparent” não é apenas sobre uma pessoa que depois dos 60 assume o gênero com que realmente se identifica, o popular “sair do armário”. Criada por Jill Soloway, são quatro temporadas e um especial musical de encerramento. Os episódios destacam a diversidade de gênero, aceitação, velhices e também a cultura judaica, entre outros temas.

Trans, o patriarca da família Pfefferman, na verdade sempre foi Maura, a protagonista vivida por Jeffrey Tambor. “Minha vida inteira me fantasiei de homem”, diz em certo momento. Enquanto para sua ex-esposa Shelly, vivida por Judith Light, ela foi trocada por uma mulher e essa mulher era seu marido.

Lançada em 2014, “Transparent”, produção original da Amazon, nos faz pensar como gênero e sexualidade ainda são tabus para a grande maioria. O caminho foi longo para Maura, que, embora tolhida, na infância já sabia que aquele corpo masculino não lhe pertencia. Ela passa pelo cross-dressing, homens que se vestem como mulheres. E na velhice, frequenta o Centro LGBT de Los Angeles, onde encontra uma segunda família.

Confira o trailer da primeira temporada em inglês

Os Pfefferman aceitam e abraçam a “pamãe”, como passam a chamá-lo. Mas, mesmo assumindo para a família e para o mundo a mulher que sempre foi, são muitos os desafios. Principalmente as instituições que não estão preparadas para as pessoas LGBT, como hospitais e aeroportos.

Desafios compartilhados

E não é só Maura que enfrenta problemas, suas filhas Sarah (Amy Landecker) e Ali (Gaby Hoffman) também vivem conflitos de sexualidade e gênero. Sarah transita pela bissexualidade, experimentando até o poliamor. Ali com o tempo aprende a viver de forma fluída sua identidade de gênero, sem o binarismo homem ou mulher.

Maura e Shelly
As matriarcas da família Pfefferman, Maura e Shelly

Todos na família têm uma vida sexual intensa, inclusive o filho, Josh (Jay Duplass), e a ex-esposa de Maura, Shelly. Os únicos cisgêneros, ou seja, que se identificam com o gênero a que estão biologicamente alinhados. Eles vivem entre diferentes amores. Shelly, mais constante, depois de Maura, vive por anos com Eddie e depois tem um relacionamento com Buzz. Já Josh, descobre ser viciado em sexo e amor.

São muitas as descobertas e desafios ao longo das temporadas de “Transparent”. Dúvidas compartilhadas sobre comportamento, relacionamentos, identidade de gênero, família, afetos e amores. Há limites ou mesmo uma idade para descobrir o que realmente lhe faz feliz? A vida é um constante aprendizado. É preciso sair da caixa ou do “armário” para saber mais sobre o mundo e sobre nós mesmos.  (Katia Brito)

OBS: Para escrever sobre a série recorri a aula “Envelhecimento e diversidade: sexualidade e questões de gênero”, da pós-graduação em Gerontologia, ministrada pelo professor Diego Miguel. Ele citou o Manual de Comunicação LGBT.

Leia mais sobre Velhices LGBT no blog Nova Maturidade e conheça o trabalho da ONG EternamenteSou, que tem Diego como padrinho.

Informação importante sobre o protagonista da série, o ator Jeffrey Tambor foi demitido na quarta temporada, acusado de assédio.

Assista as temporadas da série e confira outros conteúdos na Amazon Prime.

(Katia Brito / Fotos: Divulgação)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Notícias

Medida adotada pela prefeitura da capital, que entrou em vigor em fevereiro, vem gerando questionamentos por ter retirado um direito adquirido de idosos com...

Eventos

O Programa Vem Dançar, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME), terá neste ano um...

Notícias

Avanço da campanha de imunização no Estado, de acordo com o governo paulista, depende da chegada das vacinas da Fiocruz