conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Artigos

Que idoso você vai ser?

As redes sociais foram invadidas nos últimos dias por imagens de projeções de como famosos ou não serão como envelhecerem. A representação do futuro próximo é feita pelo aplicativo FaceApp. Fiz um teste e o resultado realmente é bem interessante, mas será que isso nos faz pensar realmente em como estamos envelhecendo?


Afinal este é o processo natural da vida e um dia nossa velhice também chegará, a não ser que morramos jovens. E para uma velhice bem-sucedida, de acordo com as imagens que o aplicativo mostra, é preciso se preparar, se planejar, não só investindo em uma vida mais saudável, trabalhando o corpo e a mente, como também se planejando financeiramente dentro de suas possibilidades, por que depender da aposentadoria que já é complicado, tende a piorar com a reforma da Previdência.

Outro ponto importante é o capital social que estamos criando, ou seja, nossos relacionamentos. Como estamos vivendo com a família, os amigos, a comunidade a nossa volta? Saiba que são eles o nosso suporte hoje e no futuro para afastar a solidão e o isolamento. Problemas comuns entre as pessoas idosas.

Manter-se ativo intelectual, aprendendo sempre ao longo da vida também contribui para uma velhice de forma mais plena. Aliás o direito à educação ao longo da vida está previsto no Estatuto do Idoso, entre outros tantos que figuram no papel mais não se concretizam na prática.

Estes capitais de saúde, financeiro, social e de conhecimentos são frequentemente listados por Alexandre Kalache, referência mundial em envelhecimento e presidente do Centro Internacional de Longevidade (ILC, sigla em inglês) Brasil. Os capitais têm como base o Marco Político do Envelhecimento da Organização Mundial da Saúde, de 2002, que define o envelhecimento ativo como “processo de otimizar oportunidades para saúde, participação e proteção/segurança de modo a aumentar a qualidade de vida a medida em que envelhecemos”. A aprendizagem continuada foi incluída pelo ILC em 2015.

Como futura especialista em Gerontologia, área que estudo o envelhecimento em seus múltiplos aspectos – biológicos, psicológicos e sociais, a cada dia, a cada novo texto que leio, aula, vídeo que assisto, minha visão se amplia, ainda mais com a produção de conteúdo para o meu blog Nova Maturidade. E o que repercute nas redes sociais, mais que uma nova tendência em aplicativos, passa a chamar a atenção para outras questões, para um importante debate: que velhos seremos?

*Artigo também disponível no meu LinkedIn.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Eventos

O Programa Vem Dançar, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME), terá neste ano um...

Notícias

Medida adotada pela prefeitura da capital, que entrou em vigor em fevereiro, vem gerando questionamentos por ter retirado um direito adquirido de idosos com...