conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Notícias

Mirian Goldenberg em Mogi: velhice e felicidade

Gratidão por cada dia vivido intensamente, de forma independente, com projetos de vida e alegria de conhecer pessoas especiais. São lições que a antropóloga Mirian Goldenberg em três décadas estudando homens e mulheres, e especialmente o envelhecimento e a longevidade. Na sexta-feira, dia 9 de agosto, Mirian esteve na cidade de Mogi das Cruzes, na Região Metropolitana de São Paulo.

A velhice foi tema da palestra, que também marcou o lançamento do livro “Liberdade, Felicidade & Foda-se! – As perguntas e as respostas para viver mais feliz”. O blog acompanhou a palestra e, em breve, no perfil do Instagram (@nova.maturidade) você concorre a um exemplar autografado por Mirian.

Nascida em Santos e moradora do Rio de Janeiro, é professora do Departamento de Antropologia Cultural e do programa de pós-graduação em Sociologia e Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

“Eu tive a sorte de em 2015 começar a pesquisar os com mais de 90 anos. Descobri que essas pessoas é que ensinam de verdade o que é envelhecer bem. Elas são alegres, ativas, produtivas, não falam de doença, de coisas negativas. Elas têm que usufruir o tempo muito bem, então se cercam de amigos, de afetos, elas são extremamente generosas”, conta Mirian.

Entre os amigos da antropóloga hoje só pessoas com mais de 90. “Eu digo que eu tenho 93 anos porque eu vivo a vida deles. Simbolicamente é como eu me sinto. Eu quero ser igualzinha a eles. Faço academia de ginástica com eles, vou ao bar, ao cinema, ao teatro. Eu quero viver a vida deles, porque são eles que me fazem bem. Como eu falo no livro: eu quero aproveitar bem a minha vida. São essas pessoas que mais me alimentam de coisas boas. No meu livro novo eu falo muito como as pessoas perdem ao não conviverem, não escutarem, não reconhecerem o valor dessas pessoas”, destaca.  

Dr. Nobolo foi homenageado no dia, recebendo uma placa da primeira-dama Karin Melo, ao lado do filho Sidnei e de Marilei Schiavi, que apresentou o evento

Mogi das Cruzes

E como Mirian Goldenberg veio parar em Mogi das Cruzes? Sabendo da pesquisa com pessoas de 90 a 99 anos, o médico mogiano Sidnei Mori falou para a antropóloga de seu pai, o também médico Nobolo Mori, que, aos 95 anos, trabalha todos os dias e pratica atividade física. Em março, pai e filho foram até a casa da antropóloga no Rio e o dr. Nobolo foi entrevistado para a pesquisa de Mirian.

A amizade entre os mogianos e Mirian, fez com que ela decidisse presentear Mogi das Cruzes com uma palestra. E teve início a corrente do bem: Sidnei trouxe a ideia para a jornalista Marilei Schiavi, da Rádio Metropolitana, que levou para Karin Melo, primeira-dama da cidade e presidente do Fundo Social de Solidariedade. E o ingresso foi trocado por um pacote de fraldas geriátricas depois doadas para instituições da cidade. O evento ainda ganhou o apoio da Livraria Leitura para o lançamento do livro.

A corrente do bem não parou por aí, Mirian aproveitou a visita para conhecer a Vila Dignidade, projeto habitacional em parceria com o governo do Estado que oferece moradia para pessoas idosas e também o Centro Dia da prefeitura. Encantada se ofereceu para colaborar com a Prefeitura de Mogi para fazer da cidade referência em qualidade de vida para pessoas idosas.

“Eu estou começando a trabalhar junto com o pessoal da prefeitura em projetos muito simples. Não precisa muita  coisa, basta escutar, respeitar os idosos, atender suas demandas. Trabalhar junto e ouvir a voz deles”, explica Mirian. Segundo ela, são coisas que precisamos começar a fazer em casa: “Escutar, respeitar, saber os limites, saber o que é cuidado, o que é controle. A gente não pode calar a voz do idoso, ele pode decidir o que ele quer”.

Segundo Karin Melo, em breve Mirian voltará à cidade. “Ela trouxe algumas ideias que a gente pode implantar em Mogi sem muito custo. Estamos estudando com o pessoal das secretarias de Assistência Social, Educação e Esporte para se unir realmente e trazer mais atividades para os nossos idosos. Eu tenho certeza que a gente vai trazê-la novamente”.

Sobre a palestra, a primeira-dama disse que saia fortalecida: “O que gravado para mim é que a gente tem que aprender a cuidar mais da gente. A gente passa a maior parte da vida cuidando dos outros. Todos nós temos fases lindas na vida e a gente tem que saber aproveitar cada segundo de cada fase, a vida passa muito rápido”. Veja mais destaques da palestra nos vídeos do nosso canal no YouTube.

Envelhecer

Esta jornalista e fã, Katia Brito, com Mirian Goldenberg

E o blog Nova Maturidade quis saber de Mirian Goldenberg se vem mudando o olhar das pessoas para o envelhecimento. “Acho que ainda não. Eu estou batalhando, militando 24 horas por dia para mudar essa visão negativa que se tem sobre o envelhecimento. Como eu muitas pessoas aqui em Mogi – Marilei (Schiavi, jornalista), Karin (Melo, primeira-dama), Neusa (Marialva, secretária de Assistência Social), Juliano (Abe, vice-prefeito), o Sidnei e o dr. Nobolo – estão mudando esta visão. Somos ainda os militantes, a grande parte da população acha que envelhecer não é tão bom como é”, ressalta. Sua pesquisa é concentrada nos ganhos do envelhecimento. “Não só para os mais velhos, mas para todos nós, porque velho é todo mundo, hoje ou amanhã”, finaliza. (Katia Brito)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Colunistas

Programa musical tem ido além da valorização dos talentos 60+, trazendo debates sobre etarismo e as conquistas femininas

Iniciativas & Projetos

Evento será em formato híbrido, presencial e online, com diversas palestras e expositores, com início no dia 29 de setembro

Saúde & Bem-estar

Em sua 9ª edição, campanha alerta para a importância do cuidado com a saúde mental em tempos de prolongada pandemia e crises