conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Eventos

MaturiFest traz Alexandre Kalache e Chip Conley

Referências em envelhecimento, longevidade e empreendedorismo estão na quarta edição do MaturiFest, pelo segundo ano online

Chip Conley

A quarta edição do MaturiFest surpreende mais uma vez pela programação repleta de temas importantes, com foco no empreendedorismo e trabalho 50+. O evento, pelo segundo ano consecutivo 100% online, começou na segunda-feira, dia 26, e segue até quinta-feira, dia 29. Saiba mais em maturifest.com.

O painel de abertura trouxe Alexandre Kalache, referência no segmento do envelhecimento, ex-diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) e presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil (ILC-BR), e Marília Berzins, presidente do Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento (OLHE) e integrante do canal O que rola na geronto. A moderação foi de Mórris Litvak, CEO da Maturi. Na imagem principal, Chip Conley que encerrou o primeiro dia.

Kalache falou sobre sua vida profissional, a aposentadoria na OMS em 2007, e como segue se reinventando, “pintando e bordando”. Situação, porém, não é a realidade para a maioria das pessoas que, em meio às desigualdades, envelhecem mal e precocemente. Para ele, falta educação sobre o processo de envelhecimento, o que precisa ser incluído no currículo escolar e na formação dos profissionais de saúde.

MaturiFest - Alexandre Kalache, Marília Berzins e Morris Litvak

Outro ponto importante destacado por Kalache é a importância do aprendizado ao longo da vida, um dos pilares do envelhecimento ativo. Segundo ele, fora a saúde este é o fator mais importante para o bem envelhecer. A oportunidade de se reinventar, de viver a vida de acordo com os próprios anseios, deveria ser um direito, assim como a decisão de parar ou não de trabalhar.

CID

O presidente do ILC-BR também comentou sobre a possível inclusão de velhice na Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID). Segundo ele, a mobilização contrária à medida, que começou no canal do YouTube O que rola na geronto e deu origem a campanha #velhicenãoédoença, está vencendo. Em setembro, um encontro deve ocorrer entre a sociedade, organizações acadêmicas e a OMS para debater o tema.

Envelhecimento digno

Marília também apresentou sua carreira e o aprendizado que tem com as pessoas idosas com que trabalha. Ela afirmou que para muitos voltar ao trabalho depois da aposentadoria é uma necessidade e não uma opção. E reforçou a falta uma cultura para o envelhecimento, voltada para o planejamento, se perguntando, por exemplo, onde vai morar e se a renda será suficiente para manter as atividades básicas.

Porém, a presidente do OLHE acredita que nunca é tarde para mudar, com a força do prefixo “re”, de ressignificar, reinventar e requalificar.  Outro ponto ressaltado por Marília é a falta uma politica de trabalho tanto para quem é iniciante como para os 50+. Segundo ela, o Brasil precisa se comprometer com envelhecimento digno.

Sonhos

O painel “Os sonhos não têm limite” trouxe Cris Guerra, publicitária, palestrante e escritora, e Marc Tawil, jornalista e estrategista de comunicação, com mediação de Alexandre da Silva, especialista em gerontologia, doutor em Saúde Pública pela USP e colunista do UOL. Alexandre destacou a importância das políticas públicas, de entender o sonho em momento histórico, de como as posições socioeconômicos influenciam o tamanho e momento do sonho.

MaturiFest - Cris Guerra, Marc Tawil e Alexandre da Silva

Cris acredita que aos 40 anos a gente começa a entender o que quer, a diferenciar o que é um desejo incorporado e o que são os desejos de verdade. Para ela, a vida é um resumo de sonhos que você vai ressignificando, ajustando o roteiro. “A gente morre para um sonho e renasce para outro”, destacou.

A ferramenta para poder sonhar, de acordo com Tawill, é uma só, é querer, estar disposto e aberto. Segundo ele, a gente pode sonhar com pequenas coisas, é preciso saber o que é legal para você e o que não é, e não se pautar na vida dos outros. O jornalista afirma que ressignificar faz parte de tudo na vida, como os elementos para construir sonhos com o pé no chão.

Internacional

Quem encerrou o primeiro dia do MaturiFest foi Chip Conley, autor do livro best seller “Wisdon at Work: the Making of a Modern Elder”, que traduzido seria “Sabedoria no Trabalho: a criação de um velho moderno”. Participaram do painel Silvia Triboni, Candice Pomi e Mórris Litvak.

Chip Conley, Silvia Triboni, Candice Pomi e Morris Litvak

O norte-americano foi consultor dos jovens criadores do Airbnb, que se tornou uma marca mundial de hospitalidade. Na palestra, Chip contou que aprendeu com os jovens sobre tecnologia e foi chamado por eles de “modern Elder”, o que significa ser curioso e sábio ao mesmo tempo.

Para Chip, há uma impressão errada das pessoas 50+, estereótipos de que os velhos não têm energia para o trabalho, por isso é preciso mostrar curiosidade e engajamento pelo que faz em vez de preocupação com aparência. O futuro das organizações, segundo ele, está na combinação entre jovens e pessoas mais velhas. Os mais velhos devem reconhecer que têm algo a oferecer ao mundo, e que é preciso aprender sempre para viver uma vida com profundidade.  

No blog Nova Maturidade mais conteúdo sobre os destaques do MaturiFest 2021.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Eventos

O Programa Vem Dançar, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME), terá neste ano um...

Notícias

Medida adotada pela prefeitura da capital, que entrou em vigor em fevereiro, vem gerando questionamentos por ter retirado um direito adquirido de idosos com...