conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Iniciativas & Projetos

Live ressalta importância e amplitude do SUS, assegurando direitos e vidas

Lançamento da campanha #EuSouSUS, promovida pelo Movimento Vidas Idosas Importam, foi uma verdadeira aula com os professores Vicente Faleiros e Cecília Minayo sobre a história do Sistema Único de Saúde e seu papel na qualidade de vida e bem-estar dos brasileiros

Vicente Faleiros

O lançamento da campanha #EuSouSUS, promovida pelo Movimento Vidas Idosas Importam, mobilizou ontem (15 de março) pessoas de todas as regiões do país. A live com os professores Vicente Faleiros (destaque na imagem principal) e Maria Cecília Minayo, na página do Facebook do movimento, já tem mais de 600 visualizações.  O evento contou com a tradução e interpretação de Libras de alunos da Feneis de São Paulo sob a orientação do prof. Juliano.

Para o articulador do Vidas Idosas Importam, o gerontologista e ativista da pessoa idosa Crismédio Costa, “a campanha #EuSouSUS significa um gesto concreto da mobilização social em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS)”. Segundo ele, trata-se de uma politica de estado criada para salvar vidas, cuidar da população e dar aos brasileiros a dignidade de viver com saúde de qualidade.

Os primeiros resultados são comemorados pelo articulador: “Essa manifestação nacional tem dado resultados muito positivos. Todas as faces do envelhecimento abraçaram essa causa para fortalecer ainda mais o nosso SUS. O povo precisa do SUS, o Brasil pede o SUS. Nós queremos ter vez e voz para continuar lutando em defesa do SUS. A vacina vem do SUS, a vida vem do SUS. Estamos todos juntos, de mãos dadas, abraçando o SUS e dizendo em uma só voz #EuSouSUS”.

A live de ontem foi conduzida por Ana Lucia Silva, ativista dos direitos humanos da pessoa idosa, especialista em negociação e mediação de conflitos como instrumento de gestão pública no Sistema único de Saúde (SUS) e pós-graduada em Gestão em Gerontologia. Coordenadora geral do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (CNDI) entre 2012 e 2018, ela recebeu o convite de última hora, substituindo a radialista e podcaster Karen Garcia de Farias, da assessoria de Comunicação do Vidas Idosas Importam.

Ana Lucia destacou que estão programados outros encontros para os meses de abril e maio, sempre com temas relevantes ligados à pessoa idosa e à defesa de direitos conquistados. “Não podemos permitir retrocessos. Os instrumentos que a Constituição tem disponíveis a gente precisa fazer que sejam mantidos. As pessoas idosas precisam ser cuidadas”.  

Live Eu Sou SUS - Sandra Gomes, Ana Lucia, Victor - intérprete de Libras e Sandra Rabello

Também participaram da live a coordenadora nacional do Vidas Idosas Importam, Sandra Regina Gomes, e a adjunta, Sandra Rabello.  “O movimento tem a proposta de integrar, promover ações que possam unir todo o Brasil para fortalecer as lutas sociais, e uma das mais importantes que é garantir que o Sistema Único de Saúde possa ficar cada vez mais forte”, afirmou Sandra Gomes.

Em defesa de direitos e da vida

Com bem disse, Ana Lucia os convidados da primeira live da campanha #EuSouSUS são exemplos do protagonismo da pessoa idosa e simbolizam a importância dessa população. Vicente Faleiros, que inspirou a campanha, lembrou como era o sistema de saúde brasileiro antes da criação do SUS: “Antes da Constituição de 1988, o sistema de saúde era fragmentado, tínhamos institutos dos servidores públicos, serviços de caridade para os indigentes que davam acesso às Santas Casas. Raramente a população tinha acesso ao medico, era um luxo”.

A Constituição, de acordo com Faleiros, trouxe de forma atrasada para o país o conceito de seguridade social, que engloba a saúde como direito, a previdência contributiva e a assistência social. O Sistema Único de Saúde (SUS) se baseia na universalidade e integralidade em um conjunto articulado de serviços para manter igualdade da assistência. E não se trata apenas dos hospitais, como afirmou o professor: “saúde não é questão de doença, mas questão de bem estar, que implica também o tratamento das doenças”.

Na pandemia, para o professor, é o SUS quem está “assegurando e segurando a barra da saúde no Brasil”. Segundo ele, “a gestão federal não olhou a pandemia com o devido respeito pela ciência, principalmente contrapondo economia e saúde, e sem saúde não tem economia que funcione”.

Diante desse cenário, a necessidade de uma política pública eficiente, articulada com todas as esferas de governo e a participação da sociedade por meio dos conselhos. “Saúde não é mercadoria, não é favor. Estamos pagamos impostos justamente para manter esses serviços”, destacou o professor.

Faleiros também abordou a gravidade da situação atual. “Estamos em um momento muito grave, não só de destruição da vida, mas da destruição do direito à saúde. Vamos prestar atenção não só para proteger vidas, mas para proteger direitos. Vamos assegurar vidas e defender direitos”.  

Amplitude do SUS

Maria Cecília de Souza Minayo

Maria Cecília Minayo, que recentemente tomou a primeira dose da vacina contra a covid-19, que chamou de “picadinha da salvação”, destacou que o SUS é uma âncora no nosso sistema de saúde brasileiro. Ela ressaltou os muitos programas realizados pelo sistema público como o de transplantes, de proteção às pessoas com aids, de imunização com vacinas para diferentes faixas etárias, as academias da saúde em espaços ao ar livre, saúde bucal, a inclusão da medicina integrativa e complementar, a Rede Cegonha, saúde na escola, entre outros.

“O SUS não é só o hospital, trabalha para a qualidade de vida e de saúde da população brasileira no sentido mais amplo. São dois os principais problemas: subfinanciamento, ou seja, investem pouco no SUS, embora seja o maior programa de saúde pública gratuita no mundo pela quantidade, e o gerenciamento sempre foi um problema com a ingerência politica. A gente tem que trabalhar para que tenhamos pessoas técnicas para levar o sistema cada vez mais a frente”, salientou a professora.

A professora finalizou sua participação dizendo: “Todos estamos nesse movimento, todos temos que nos sentir incluídos, porque o Brasil está passando por um momento muito difícil, e na hora da dificuldade a gente tem que encontrar saídas juntos. Mais uma vez quero apoiar a frase #todossomossus, #eusousus, #nossomossus”.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Notícias

Medida adotada pela prefeitura da capital, que entrou em vigor em fevereiro, vem gerando questionamentos por ter retirado um direito adquirido de idosos com...

Eventos

O Programa Vem Dançar, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME), terá neste ano um...

Notícias

Profissionais fundamentais para a população idosa, os cuidadores de idosos domiciliares precisam ser incluídos no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19. Na luta...