conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Saúde & Bem-estar

Idosos devem unir segurança e prazer alimentar

Fonoaudióloga da Casa São Luiz alerta para dificuldades alimentares com o envelhecer e traz dicas para evitar problemas

Casa São Luiz - prazer e segurança alimentar
Especialista alerta para possíveis mudanças no padrão alimentar de pessoas idosas

Pessoas idosas podem ter receio de se alimentar, e isso deve ser um alerta para cuidadores e familiares. De acordo com a fonoaudióloga Patrícia Hildebrant, da Casa São Luiz, instituição de longa permanência localizada no Rio de Janeiro, segurança alimentar na velhice deve torna-se prioridade e o acompanhamento de um profissional especializado.

O fonoaudiólogo trata não apenas de questões ligadas à comunicação, como a voz e a linguagem oral e escrita, como também das funções responsáveis pela deglutição, respiração e mastigação.

“O envelhecimento puro e simplesmente já gera uma série de modificações de morfologia, autonômicas, bioquímicas e isso leva a uma mudança no padrão de vida de idosos. Quando se fala de mastigação e deglutição, essas mudanças são mais evidentes”, explica a fonoaudióloga.

Os próprios idosos, segundo a especialista, já começam a conduzir uma mudança no seu padrão alimentar dando preferências a alimentos mais macios, que geram menos resíduos, que exigem menos força.

As mudanças na dieta de pessoas idosas, conforme vão surgindo dificuldades, comprometem a segurança alimentar, na avaliação de Patrícia. No entanto, apesar das limitações alimentares no público 60+, o prazer da alimentação não deixa de existir. Para garantir prazer e a segurança alimentar, é necessário que a pessoa idosa tenha a orientação profissional de um fonoaudiólogo. 

Patrícia reuniu algumas para familiares e cuidadores:

  • Família e cuidadores são diretamente responsáveis pela segurança alimentar. É essencial uma rede de apoio em casa ou nas ILIPs ou nas redes hospitalares para que as orientações sejam bem executada;
  • A pessoa idosa precisa estar tranquilo no momento da alimentação;
  • É essencial estar bem posturado e bem orientado por um fonoaudiólogo; 
  • A dieta precisa seguir os padrões de consistência estabelecidos pela fonoaudiologia junto à equipe de nutrição. A pessoa idosa precisa ser incentivado de forma correta no processo de alimentação. Não pode se sentir intimidado;
  • Higiene completa é essencial, principalmente, se tiver prótese. Na ausência de dentes, uso de gaze e enxaguador bucal;
  • Após a refeição é preciso aguardar de 30 a 40 minutos para posturar o idoso deitado. O processo é lento, e a digestão também;
  • Com a tendência ao desgaste ósseo, alimentos muito rígidos podem ser perigosos, o que interfere diretamente no processo de mastigação;
  • Alimentos muito secos também podem oferecer perigo, já que os idosos têm menor produção de saliva dificultando a formação do bolo alimentar na cavidade oral. Há menor força de ejeção desse bolo para região de orofaringe, prejudicando a ingestão desses alimentos.

(Fonte: Casa São Luiz e LV Comunicação / Imagem principal: Food photo created by freepik – www.freepik.com)

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Fonoaudióloga fala sobre alimentação na velhice - Casa São Luiz

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Colunistas

Programa musical tem ido além da valorização dos talentos 60+, trazendo debates sobre etarismo e as conquistas femininas

Iniciativas & Projetos

Evento será em formato híbrido, presencial e online, com diversas palestras e expositores, com início no dia 29 de setembro

Saúde & Bem-estar

Em sua 9ª edição, campanha alerta para a importância do cuidado com a saúde mental em tempos de prolongada pandemia e crises