conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Iniciativas & Projetos

Evento sobre tecnologia e cuidado marca lançamento do Aging2.0 Rio de Janeiro

Lançamento Aging2.0 Rio de Janeiro

O Aging2.0 vem expandindo sua atuação no Brasil e no dia 11 de agosto ganhou um capítulo (chapter) no Rio de Janeiro. A embaixadora é Henriette Krutman, mentora de negócios e sistemas de inovação e consultora nas áreas de saúde, qualidade de vida e longevidade. O evento Tecnologia e Cuidado para os 60+ na nova normalidade, mediado pelo jornalista Mauro Ventura, marcou o lançamento do novo chapter.

Sérgio Duque Estrada, que respondia apenas por São Paulo, recentemente nomeado embaixador do Aging2.0 para o Brasil e para a América Latina, abriu o lançamento. Ele destacou a missão da organização mundial, presente em 31 países: apoiar negócios inovadores com soluções tecnológicas para os desafios do envelhecimento.

No Brasil, além do Rio de Janeiro e São Paulo, o Aging2.0 está presente nas cidades de Ribeirão Preto (SP), Brasília (DF) e Curitiba (PR). E da união com a  Ativen, aceleradora de startups e empresas na jornada de inovação e tecnologia, surgiu o Núcleo 60+. “O Núcleo foi constituído com a SeniorLab e Raízes para ser um hub de consultoria para empresas interessadas em entender e encantar o mercado 60+”.

Lançamento Aging2.0 Rio de Janeiro Palestras tecnologia e cuidado

Aging2.0 Rio

Desafios Aging2.0
Henriette destacou os desafios que norteiam o trabalho do Aging

O Chapter Rio, segundo Henriette, definiu como prioridades estimular negócios, soluções tecnológicas e o empreendedorismo inovador em sintonia com as crescentes oportunidades e necessidades do mercado sênior. E também promover eventos e apoiar iniciativas da área pública, privada e terceiro setor.  

“Nosso objetivo é apoiar, facilitar a conexão entre os diversos segmentos do ecossistema: hubs de inovação, empreendedores, investidores, investidores-anjo, capital ventures, empresários e o publico sênior de forma geral. Todos que estão envolvidos com o tema da longevidade, do envelhecimento ativo estarão priorizados no nosso trabalho”, afirmou Henriette.

A equipe do Aging2.0 Rio conta ainda com a diretora Monica Lucia Torres Vieira, com experiência no planejamento e gestão de projetos e iniciativas com foco no desenho de soluções específicas. Outra diretora é Carminha David, consultora e mentora nas áreas de marketing, desenvolvimento de negócios e apoio ao ecossistema de empreendedorismo.

O momento, de acordo com a embaixadora do Rio, é de oportunidade diante do crescimento da população sênior. De acordo com ela, o Rio de Janeiro é o Estado com mais idosos no Brasil, representando 18,7% do total da população, enquanto a média nacional é de 16,2%. Outro ponto é o número ainda baixo de startups no Rio de Janeiro. São aproximadamente 850, enquanto em São Paulo esse número é de quase quatro mil empresas.

“É o segmento populacional que está crescendo em uma espiral muito acentuada Isso gera demandas especificas. Mas também abre um leque de oportunidades para o empreendedorismo inovador. Um momento particularmente favorável para que a gente desenvolva esse trabalho”, salientou no lançamento. Contatos pelo e-mail: rio@aging2.com.

Tecnologia e cuidado

Entre os palestrantes sobre Tecnologia e Cuidado para os 60+ na nova normalidade, Egídio Dórea, diretor do Aging2.0 São Paulo e coordenador da USP60+, que recentemente lançou o livro Idadismo – Um mal universal pouco percebido. O palestrante falou sobre a vulnerabilidade dos idosos frente à Covid-19, uma vez que quase 70% dos mortos tinham mais de 60 anos, algo que tem se repetido em diversos países.

Egídio ressaltou a desigualdade e o idadismo evidenciados pela pandemia com a ausência de políticas públicas, a exclusão de protocolos de tratamento e a idade cronológica como determinante de tratamento. Além da falta de prioridade às instituições de longa permanência para idosos (ILPIs). Outro problema apontado foi a falta de respeito às particularidades dos idosos.

A tecnologia, segundo ele, pode ser e já é uma grande ferramenta para os cuidados de longa duração. Oportunidade para projetos disruptivos com foco no teletrabalho, visitas médicas, compras domésticas, contato social, lazer, saúde, transporte público e privacidade.

Telemedicina

Outra palestrante foi Yolanda Boechat, coordenadora do Serviço de Geriatria da Universidade Federal Fluminense (UFF), presidente da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz) – regional Rio de Janeiro, e membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – Rio de Janeiro (SBGG-RJ).

Ela falou sobre Telemedicina e apoio ao grupo 60+, tendo como base a gerontecnologia, tecnologia facilitadora que preserva autonomia e independência, proporciona igualdade entre os grupos etários, é inclusiva com foco na aprendizagem ao longo da vida, proteção e segurança. Como exemplo as teleconsultas que permitem que médicos acompanhem pacientes de localidades distantes.

Yolanda e sua equipe da UFF têm vencido o distanciamento social com os idosos por meio do telemonitoramento com o envio de e-mail e uso de telefone celular e videochamadas e a criação de grupos no WhatsApp e utilização da plataforma Google Meet para encontros virtuais.

Startups

O último palestrante foi Leônidas Porto, CEO e co-fundador da Gero360,  startup focada em soluções para a rotina de cuidados para o idoso. A empresa criou um aplicativo para cuidadores familiares, disponível gratuitamente para sistemas Android e IOS e uma ferramenta específica para gestão de instituições de longa permanência.

A Gero360 foi uma das finalistas da primeira Chamada de Negócios da Longevidade, promovida pela Aging2.0 em 2018. Neste ano atípico, a empresa está presente em sete Estados brasileiros e aumento em seis vezes o faturamento. O trabalho começou em 2016 e desde então participaram de etapas de conhecimento do segmento até começar a propor produtos inovadores e implementar como a solução desenvolvida para ILPIs, com foco na gestão e coordenação do cuidado ênfase na interação familiar.

As outras duas finalistas da Chamada de 2018 também estão alçando voos maiores. A EuVô (mobilidade) e a ISGAME (Cérebro Ativo) estão entre as dez finalistas da Global Innovation Search, evento mundial da Aging2.0. Entre as semifinalistas havia mais três empresas nacionais: Cerebrar, SeniorGeek e Vovs.

“Isso já é uma prova que o nosso ambiente no Brasil está tendo reconhecimento internacional, mas ainda é um ambiente incipiente. Já vemos as empresas acordando para a necessidade de inovação. Estamos sempre abertos para submeter ideias, colaborar, poder fazer pontes com empresas nacionais e de fora. Temos muito possibilidades”, finaliza Sérgio Duque Estrada. (Katia Brito)  

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Eventos

O Programa Vem Dançar, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME), terá neste ano um...

Notícias

Medida adotada pela prefeitura da capital, que entrou em vigor em fevereiro, vem gerando questionamentos por ter retirado um direito adquirido de idosos com...