conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Cultura

Espetáculo online faz paródia da velhice de heróis

Commune apresenta sessão especial de “AntiComics, uma paródia dos Super-heróis” neste domingo (26), que segue até quarta-feira

Espetáculo parodia de heróis

Neste domingo, dia 26 de dezembro, às 19 horas, tem apresentação gratuita do espetáculo “AntiComics, Desconstruindo Super-heróis”, encenado pelo grupo Commune, no Teatro Commune. O espetáculo também será transmitido online e terá sessões especiais nos dias 27, 28 e 29 de dezembro, às 19 horas, no canal do YouTube @ColetivoCommune.

O espetáculo é uma paródia dos super-heróis Superman, Batman e Mulher Maravilha, que mostra os super-heróis velhos e em crise, questionando seus superpoderes em situações de vulnerabilidade. A comédia é composta pelos textos “O Evangelho segundo o Super-homem”, “A Vida Sexual dos Morcegos” e “A Festa do Pijama”, da premiada escritora argentina Sonia Daniel.

A comédia nasceu de uma coprodução, viabilizada pelo Instituto IBERESCENA (Espanha), do Commune, de São Paulo, com o Centro Cultural Maria Castanã, de Córdoba, Argentina. A peça busca, por meio do humor irônico, pôr em xeque mitos e levar o público a refletir sobre teorias filosóficas relacionadas aos super-heróis.

Brasil-Argentina

Os diretores artísticos do projeto “AntiComics – Desconstruindo os Super-Heróis” são os mesmos dos grupos coprodutores: Augusto Marin, do Teatro Commune, como diretor, e Sérgio Osses, professor do Centro Maria Castagna, como codiretor. Um ponto em comum entre os grupos é que ambos se dedicam à pedagogia teatral e à formação de jovens atores.

AntiComics e os textos

A peça tem uma abertura cinematográfica, com a exibição de imagens dos super-heróis conhecidos e apresentação dos artistas que fazem cada papel.

O primeiro quadro, “A Vida Sexual dos Morcegos” mostra um reencontro de Batman e Robin já idosos e sem glamour que evidencia a atração sexual entre os dois. “A Festa do Pijama“, segundo quadro, é um monólogo no qual Princesa Diana, alter ego da Mulher Maravilha, após ser presa, fala de sua vida sentimental fracassada.

O Evangelho Segundo o Super-homem, terceiro quadro, parodia a história do Super-homem que, neste caso, não quer ser super-herói e tem dois pais judeus e gays. A história nasce de uma teoria de que o Super-homem seria um personagem messiânico que tem muitos pontos em comum com Jesus Cristo. O espetáculo termina com uma música sobre os super-heróis e sua finitude.

“A experiência de trabalhar com personagens icônicos com humor irônico e com cores hilariantes coloca em consideração as construções que o imaginário coletivo tem desses personagens. A possibilidade desses textos de pôr em xeque seus superpoderes e colocá-los em situações de vulnerabilidade nos leva a pensar sobre teorias filosóficas relacionadas com ‘O mito do super-herói'”, declara Augusto Marin, ator e diretor do Teatro Commune.

(Fonte: Teatro Commune e Siegel Press / Imagem: Daniela Coen-Divulgação)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Iniciativas & Projetos

Evento online da EternamenteSOU e Sesc Pompeia terá como tema "Nossos tempos e as questões de gênero, saúde e sexualidade"

Eventos

O Programa Vem Dançar, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME), terá neste ano um...