conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Eventos

Comissão debate possível inclusão de velhice como doença

Audiência pública por videoconferência da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa será na quinta-feira, dia 15 de julho, às 10 horas

Audiência vai debater inclusão de velhice como doença

A Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa (CIDOSO) da Câmara dos Deputados debate na próxima semana a inclusão da velhice na nova edição da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID 11). A audiência pública por videoconferência será na quinta-feira, dia 15 de julho, às 10 horas. Acompanhe: https://edemocracia.camara.leg.br/audiencias/sala/2042.

A proposta é refletir sobre os impactos da decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS), que prevê, a partir de janeiro de 2022, a inclusão do termo velhice, representado pelo código MG2A, no CID 11. A classificação anterior é de 1993. Decisão que é um retrocesso, como afirma a campanha Velhice Não é Doença, desconsiderando a velhice como uma etapa da vida. A medida contraria construções sociais, econômicas e culturais, que fundamentam a gerontologia e a geriatria, a favor do envelhecimento digno e saudável.

Em nota divulgada em reportagem da Agência Brasil, a OMS afirma que a classificação não significa que a velhice exija prevenção ou tratamento, seria um reconhecimento de que as pessoas podem morrer de velhice. Quando na verdade, a questão está nas doenças associadas ao envelhecimento, e não na velhice. Como tem dito o mestre Kalache, queremos morrer velhos, mas não de velhice.

Audiência pública

Estão confirmadas as presenças de Juan Escalante, médico epidemiologista e consultor nacional da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS); Alexandre Kalache, médico, presidente do Centro Internacional da Longevidade Brasil (ILC-BR) e co-diretor da Age Friendly Foundation; e Cássia Buchala, professora do Departamento de Epidemologia
Faculdade de Saúde Pública da USP.

Também deve participar da audiência pública Maria Aparecida Gugel, presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Defesa dos Direitos dos Idosos e Pessoas com Deficiência (AMPID). Além de representantes do Ministério da Saúde, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados. Participe desse importante debate! #velhicenãoédoença

(Fontes: Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa – CIDOSO e Agência Brasil / Imagem principal: Pessoas foto criado por pvproductions – br.freepik.com)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba todas as nossas novidades





Leia também

Artigos

*Egídio Dórea Simone de Beauvoir, célebre filósofa francesa e autora de um dos mais profundos estudos antropológicos sobre a velhice, resgatou nesse livro uma...

Colunistas

Programa musical tem ido além da valorização dos talentos 60+, trazendo debates sobre etarismo e as conquistas femininas

Notícias

Atividade online oferecida pelo Campus Virtual Fiocruz tem como cuidados integrais, vacinação, contatos sociais, entre outros

Saúde & Bem-estar

Em sua 9ª edição, campanha alerta para a importância do cuidado com a saúde mental em tempos de prolongada pandemia e crises